Perda de peso depois do parto: o que dá e o que não dá para fazer

Perda de peso depois do parto: o que dá e o que não dá para fazer

“Em quanto tempo você acha que voltou ao meu peso?”

Quando o bebê nasce, depois de estarem mais adaptadas à rotina com um novo serzinho em casa, de estarem mais confortáveis com a amamentação, uma das grandes preocupações da mãe é em perder o peso que ganhou durante a gestação.

Como já falei antes neste post, o ganho de peso durante a gestação depende de uma série de fatores. Para falar sobre a perda de peso após o parto, não seria diferente. Precisamos considerar alguns pontos:

Ganho de peso da gestação e peso pré gestacional

Uma das principais considerações que eu faço quando penso na perda de peso pós parto da mulher é conhecer como foi seu ganho de peso durante a gestação. Não somente o quanto ela ganhou de peso, mas de que forma? Foi um ganho de peso distribuído ao longo das semanas, ou foi acumulado em poucos meses? O ganho de peso foi baseado em uma alimentação saudável e equilibrada, ou a base de alimentos industrializados?

E como estava o peso e corpo da mulher antes de engravidar? Ela tinha ganhado ou perdido peso recentemente? Como estava sua alimentação?

Estes são fatores determinantes que me ajudam a entender como está o metabolismo e organismo da mulher neste período delicado que é o pós parto.

O que vejo bastante no consultório é que quando o ganho de peso da gestante acontece de forma organizada, planejada, e principalmente baseado em alimentação saudável, a perda de peso pós parto acontece de forma natural e tranquila. Um dos motivos provavelmente é que a família já está adaptada à uma alimentação saudável, e assim não será tão difícil manter algo parecido no pós parto.

O que dá e o que não dá para fazer:

Cuidar da alimentação

Cuidar da alimentação é dar atenção à ela, planejar as refeições, priorizar alimentos in natura e pouco processados – o que eu sei que nem sempre é fácil com um bebê novinho em casa.

Mas atenção, isso não significa (e não é recomendado) fazer uma dieta restritiva no puerpério! Amamentando ou não, a nova mãe com certeza irá precisar de alta densidade de nutrientes para lidar com a nova rotina do bebê em casa, além de todo o estresse físico e emocional que a fase demanda.

Amamentação

Outro fator importante, certamente é a amamentação. O corpo da mulher dedica muita energia e nutrientes para a produção de leite para o bebê. Amamentar é um fator que contribui muito para a perda de peso da mulher no período pós parto.

Não posso aqui deixar de falar das mulheres que não amamentam. Quando a amamentação não é possível, não necessariamente significa que a perda de peso será mais difícil. Mas nestes casos a alimentação equilibrada e talvez uma atividade física bem orientada tenham um papel ainda mais importante.

Dar tempo ao tempo

“Uma coisa é peso, outra é corpo”, é uma frase que eu sempre falo para as mulheres que me procuram no puerpério. Às vezes elas relatam que até já perderam o peso ganho, mas notam que o corpo está diferente.

Sim, pois o ganho de peso não é o único ajuste que o corpo da mulher faz durante a gestação. Há adaptações fisiológicas que são necessárias para o corpo suportar este “estresse” que é a gestação: es estruturas ósseas do quadril se abrem, para dar mais espaço e passagem ao bebê; os seios aumentam o tecido mamário para a produção de leite; o útero aumenta muito de tamanho para abrigar o bebê. E estas mudanças podem levar mais tempo para voltar ao estado inicial do que o próprio peso a descer.

Por isso, mulheres, dêem tempo para o corpo se recuperar. Se foram necessários 9 meses completos para chegar no estágio final da gestação, é justo que tenha também bastante tempo para voltar ao seu habitual, não é?

Todos estes fatores são importantes na hora de planejar a perda de peso depois da gestação. Cada mulher é única, tem uma história única e teve uma gestação única. Por isso, não dá para generalizar como é a perda de peso depois do parto, e nem comparar umas com as outras.

Para não fazer loucuras e comprometer o valor nutricional da sua alimentação e tempo fisiológico de recuperação do corpo, é essencial que a mulher tenha um acompanhamento e aconselhamento nutricional para entender tudo o que é possível fazer (e também o que não é) para perder o peso ganho na gestação.

Deixe uma resposta